Arquivo anual 2019

Servidores da Câmara participam de palestra sobre coleta seletiva

A palestra ministrada pelo presidente da COOPRESAN, Rondineli Vieira, foi um dos encaminhamentos determinados dentro da audiência pública, de autoria do vereador Júnior Tapajós (PL), realizada no início deste mês na câmara de vereadores.

Servidores da Câmara participam de palestra sobre coleta seletiva – Foto: Elivaldo Reis

Com o compromisso em ser uma das instituições públicas a dar o exemplo da importância da coleta seletiva, a palestra deu início as atividades de conscientização dos servidores que trabalham na casa.

De acordo com informações repassadas pelo diretor da câmara, Alberto Portela, a substituição dos copos descartáveis por canecas, para uso dos servidores, e a parceria da casa legislativa com a COOPRESAN, para o descarte de material eletrônico, também são frutos da nova concepção do poder legislativo em relação ao reaproveitamento desse tipo de material reciclável, que segundo foi debatido durante a audiência, é fonte de renda que pode gerar lucro não só para os catadores, mas fomentar a economia do nosso município.

A importância da coleta seletiva

Para Júnior Tapajós, que propôs a palestra, as ações de conscientização são essenciais para que mais e mais multiplicadores recebam as informações necessárias para levar adiante.

“Nossa casa legislativa se propôs a ser um dos exemplos dento da conscientização, da importância da coleta seletiva em nosso município, então o primeiro passo dentro dos encaminhamentos definidos na audiência pública já saiu do papel, que é trabalhar os servidores desta casa”, disse o parlamentar.

Outras parcerias devem ser realizadas para que esse trabalho ganhe cada vez mais força.

 

Vereador Júnior Tapajós percorre comunidades para receber demandas

Durante toda terça-feira, (20), o vereador Júnior Tapajós, (PL), cumpriu agenda de trabalho em algumas comunidades da região do Tapajós. A primeira visita foi em Vila Franca, onde o foco principal foi a vistoria técnica, onde foi vistoriada as necessidades de reforma do posto de saúde, adaptação da sala de informática e a conclusão do depósito da escola da comunidade.

Vereador Júnior Tapajós percorre comunidades para receber demandas

Já na comunidade de Santí, o parlamentar se fez presente a convite dos moradores, para os quais foram repassadas informações atualizadas sobre o andamento de algumas solicitações, como a do motor de luz, que aguarda nova licitação para ser atendida. Outra demanda recebida pelo vereador, foi o pedido de reforma da escola que apresenta necessidades extremas no banheiro que atende os alunos e outros pontos como: calçadas e pintura.

Em Surucuá, a convite do diretor da escola, realizamos levantamento para a realização de manutenção no teto do prédio que apresenta alguns problemas.

De acordo com Júnior Tapajós, as visitas realizadas nesta terça-feira, são respostas de solicitações feitas pelos comunitários que necessitam do olhar mais próximo dos comunitários, dentro das comunidades, para que a realidade dos ribeirinhos seja conhecida e sentida de perto.

“Essa visita é retorno do trabalho que nós já realizamos junto as comunidades do Tapajós e do Arapiuns e bairros de Santarém, são visitas rotineiras onde vivenciamos as necessidades que eles têm, bem de perto, e levamos para as secretarias competentes afim de buscar a solução”, disse ele.

Júnior Tapajós garantiu que as demandas recebidas nas comunidades de Vila Franca e Santí, serão direcionadas ao poder executivo, através de suas secretarias e acompanhadas de perto por ele.

 

5ª Comissão dá celeridade aos projetos de alienação de terras: vereador Júnior Tapajós garante compromisso com população santarena

Esta tarde, ao fazer uso da tribuna, o vereador Júnior Tapajós, (PL), presidente da Comissão de Agricultura e pecuária, Obras públicas e patrimônio, apresentou relatório dos trabalhos realizados desde o início do ano, pela 5ª comissão, nos projetos de alienação de terras.

Vereador Júnior Tapajós garante compromisso de dar celeridade ao processos de alienação de terra

De acordo com o vereador, dos 123 projetos recebidos até o momento, 12 foram devolvidos a 2ª comissão por apresentarem erros, 37 estão aguardando parecer de membros da 5ª comissão. O parlamentar disse ainda que, somente este ano, 15 projetos de alienação de terras já foram aprovados em plenário, 2 estão no setor legislativo aguardando inclusão na pauta, outros 57 processos estão na 2ª comissão, aguardando parecer da comissão de constituição e justiça.

O presidente da comissão afirmou que, conforme o relatório, hoje a 5ª comissão não tem nenhum projeto de alienação de terras aguardando vistoria e reforçou ainda o compromisso com a sociedade santarena.

“A 5ª comissão tem total interesse em dar andamento nesses projetos de alienação de terras, por entendermos que é arrecadação para o município, mas principalmente para resolver em definitivo a condição de pessoas que aguardam ansiosamente pelo título definitivo de suas terras”, afirmou ele.

O vereador se colocou à disposição de todos para esclarecer qualquer dúvida sobre os trabalhos relativos a 5ª comissão.

 

Câmara de Vereadores se propõe a ser exemplo e fiscalizar cumprimento de leis sobre Coleta Seletiva

Com o objetivo de levantar alternativas e ações sobre a melhor forma de realizar a coleta seletiva de resíduos sólidos no município, a Câmara de Santarém, por meio do vereador Júnior Tapajós (PL), realizou na tarde de terça-feira (06/08) uma Audiência Pública.

Sessão especial para discutir sobre coleta seletiva de resíduos sólidos em Santarém, autoria do Vereador Júnior Tapajós

Estiveram presentes no debate, representantes das pastas SEMAP, SEMED, SEMINFRA, SEMMA, SEMSA; instituições de ensino UFOPA, UNAMA, IESPES e IFPA; entidades de classe COOPRESAN e RECICLA COOPERE, ONG Iara, ACES, SEBRAE, Cargill, ANAPLAST e OAB.

 

Júnior Tapajós, que presidiu a sessão, iniciou as discussões, enfatizando que vivemos em uma região diferente das outras do Brasil e é preciso que adotemos a prática da coleta seletiva e destinação dos resíduos sólidos. “Santarém poderá ser exemplo para outros municípios da região”, anota.

Parcerias – Abrindo o debate, o presidente da COOPRESAN, Rondineli Vieira relatou um pouco da experiência que a cooperativa vivencia desde 2012, como a primeira de catadores da cidade, quando, segundo ele, deixaram de cruzar os braços e reclamar da falta de apoio do Poder Público.

A cooperativa mantém uma parceria com a Universidade Federal do Oeste do Pará representada na ocasião por Erielma Lopes. Ela destacou que a união já rendeu a instalação de um ponto de coleta dentro da instituição. “Hoje os universitários e professores trazem para o ponto o material reciclável e esse modelo de cooperação técnica que a UFOPA firmou com a COOPRESAN está sendo exemplo para outros lugares”, afirma.

Iniciativa Privada – O representante da classe empresarial na audiência foi Rodrigo Branco. Segundo ele, o lixo precisa ser visto do ponto de vista logístico. “Acredito que se a gente conseguir conscientizar a importância da coleta seletiva, nosso problema será outro, o de volume de resíduo para armazenar”, analisou o empresário, ressaltando que seria impossível depender só da sociedade civil e das cooperativas para fazer essa coleta.

Para Solange Rodrigues, empresária que há quinze anos trabalha com resíduos sólidos e administra uma organização que consome por mês 40 mil quilos dessa matéria-prima, as dificuldades de manter a produção de sua fábrica são imensas, tendo que importar resíduo sólido para funcionar com capacidade total de fabricação de tubos e mangueiras.

Poder Executivo – A Prefeitura, representada pelas secretarias de Agricultura e Pesca (SEMAP); Saúde (SEMSA); Meio Ambiente (SEMMA); Educação (SEMED) e Infraestrutura (SEMINFRA) contribuiu com as experiências diárias, mas apontou também alguns pontos que precisam ser ajustados.

SEMMA – representada por Sabrina Aguiar, destacou as campanhas que já são realizadas com foco na educação ambiental, por meio do Centro de Formação e Educação Ambiental (CIAM). Sabrina deu como exemplo de parceria para a geração de renda e conscientização a do bairro Mapiri, onde um grupo de mulheres por conta própria, selecionam material na própria comunidade e revertem isso em dinheiro. “Essa iniciativa a secretaria está trabalhando para ser replicado em outros bairros da cidade, junto às suas associações”.

SEMAP – Trazendo como exemplo o Parque da Cidade, o secretário municipal de Agricultura e Pesca Bruno Costa destacou o trabalho de reciclagem, realizado em grande escala no espaço com pneus, que são transformados em objetos de decoração para os ambientes públicos, além do reaproveitamento de madeira e restos de alimentos coletados naquele espaço público, os quais são destinados à compostagem.

SEMINFRA – O engenheiro José Palheta foi o representante da Pasta. Ele relatou a realidade atual do aterro sanitário de Perema, que, de acordo com ele, funcionou somente dois anos com tal objetivo, tornando-se lixão a céu aberto após esse período.

Quanto ao gerenciamento de resíduos sólidos, Palheta afirmou que Santarém tem muitas legislações voltadas para a temática, e seria um dos poucos municípios do Estado que têm política e plano municipais de resíduos sólidos, porém, completou o representante do Governo, o que falta é apenas cumprir essas legislações.

Um dos pontos mais citados na Política Nacional e Municipal de Resíduos Sólidos, continuou o engenheiro, seria a lei n° 12.305, a qual preconiza a gestão compartilhada. “O poder público, hoje, dá apoio às cooperativas como rege a legislação. Tem espaço para fazer a triagem, com 28 cooperativas de catadores, mas ainda temos 73 sem espaço, trabalhando no sol quente. Hoje, temos triturador, trator, forrageira, energia elétrica, que a Prefeitura paga como apoio para as cooperativas”, acrescenta.

Sessão especial para discutir sobre coleta seletiva de resíduos sólidos em Santarém

O que há – Hoje, o Município estaria com um processo licitatório em andamento para o chamamento de uma empresa que fará o estudo de viabilidade técnica, a partir daí abre-se o processo licitatório para uma empresa assumir a construção do aterro sanitário.

Encaminhamentos – O vereador Júnior Tapajós reafirmou, junto ao presidente Emir Aguiar (PODEMOS) o compromisso de adotar a coleta seletiva de resíduos sólidos na própria, como forma de contribuir, efetivamente, com a causa.

O vereador do PL se declarou satisfeito com o debate, e disse ter alcançado o grande objetivo de sensibilizar a todos sobre a necessidade da coleta seletiva. Segundo Tapajós, a Câmara formará um grupo de trabalho para revisar todas as leis que tratam de coleta de lixo. “Leis que foram aprovadas nesta Casa, vamos cobrar dos cidadãos, entidades e instituições a efetivação dessas leis”.

O presidente concordou com Júnior Tapajós e se colocou à disposição para contribuir com as ações. “Essa audiência veio em um momento muito importante, precisamos sentar com os técnicos, sociedade e incentivar os programas que já existem a fazer nossa parte enquanto Câmara dando início à coleta seletiva neste órgão”.

 

Vereador Júnior Tapajós busca propostas empreendedoras para levar a carroceiros

Na manhã desta terça-feira, (16), o vereador Júnior Tapajós, (PL), esteve reunido com os analistas do SEBRAE, Socorro Gonçalves e José Luís Alves, dando continuidade aos encaminhamentos feitos na reunião de trabalho que debateu a proposta de substituição da tração animal por outras atividades ou por outros métodos de tração.

Vereador Júnior Tapajós busca junto ao SEBRAE propostas empreendedoras para levar a carroceiros

A proposta inicial feita pelo SEBRAE para os carroceiros, é de fazer uma análise coletiva de como cada um deles se vê dentro do processo de empreendedorismo e qual área melhor se identifica. A partir de aí trabalhar as especificidades de cada um, já que uma parte deles já são microempreendedores individuais.

Depois de feito o diagnóstico do perfil de cada um, o próximo passo será encaminha-los para os cursos de empreendedorismo dentro do nicho de negócio que optaram.

A reunião com os carroceiros está prevista para acontecer no mês de agosto. Segundo o vereador Júnior Tapajós, a expectativa é que dentro desse diagnóstico se possa avançar com a transição do transporte de tração animal para outras atividades.

“Esse diagnóstico inicial é muito importante para que possamos ter sucesso na proposta de transição da atividade dos carroceiros para outros tipos de empreendedorismo”, disse o vereador.

 

Secretaria de Educação propõe descentralização da merenda escolar: vereador Júnior Tapajós acompanha o repasse da proposta as comunidades

As primeiras comunidades a serem visitadas, na região do Lago Grande, pela comitiva da SEMED, composta pela secretaria Mara Belo, o nutricionista Joílson Dutra, e a Chefe da Divisão de Atendimento ao Educando, Vanda Maia, foram as de Arací e Água fria, região do Lago Grande.

SEMED propõe descentralização da merenda escolar e vereador Júnior Tapajós acompanha o repasse da proposta as comunidades

A proposta da secretaria de educação é trabalhar a descentralização da merenda escolar nas comunidades ribeirinhas, de modo que elas mesmas sejam responsáveis por fornecer o lanche dos estudantes, oferecendo o que tem de mais saudável dentro da agricultura familiar.

Segundo Vanda Maia, chefe do DAE, fazer merenda escolar na região de rios é muito complicado por conta da logística que isso demanda. Por este motivo, a equipe iniciou o trabalho de identificação da vocação agrícola local das comunidades, realizando o mapeamento para a partir da produção dos comunitários, saber o quantitativo de escolas que eles podem fazer a entrega diretamente do campo para o refeitório das escolas.

“Nossa intenção é a partir do dia 02 de setembro, já ter um panorama desta situação para trabalhar a pauta da merenda escolar, agricultura familiar, que vai ser executado em 20020”, enfatizou Vanda.

De acordo com a secretaria de educação, Mara Belo, a descentralização da merenda escolar já é prevista em lei, porém nunca foi colocada em pratica. O projeto foi retomado pela SEMED com a chegada de um nutricionista. Segundo Mara Belo, regionalizar a merenda escolar demanda um trabalho muito grande, mas possível de realizar. O trabalho deve começar pelos locais onde for possível o envolvimento das comunidades e no decorrer dos anos, estender para 100% de aquisição dos produtos da alimentação escolar de mais de 80 mil alunos, com a agricultura familiar.

“A grande intenção é regionalizar os itens da merenda de acordo com a região, aproveitar a capacidade de produção de cada região, fazer um estudo, levantamento e envolver essas famílias e produtores, na chamada pública que vai acontecer no final de 2019 para ser executada no ano de 2020”

Há 3 meses trabalhando na organização do cardápio das escolas e creches municipais, o nutricionista Joílson Dutra, diz que apesar do trabalho inicial de mapeamento e conscientização dos produtores, a regionalização da merenda escolar será um grande feito, que impactará principalmente na qualidade da alimentação e consequentemente na saúde dos alunos.

“Nossos alunos ganharão em qualidade, teremos a oportunidade de substituir os enlatados que são carregados de sódio, conservantes outros ingredientes prejudiciais à saúde, por legumes, frutas, verduras e uma infinidade de produtos naturais que são produzidos nas próprias comunidades. Contaremos ainda com produtos que serão entregues de forma mais rápida, garantindo a qualidade, evitando estragos”, afirmou o nutricionista.

Para o vereador Júnior Tapajós, que acompanha esse mapeamento das comunidades, a regionalização da merenda escolar foi a melhor opção feita pela SEMED, além de gerar uma merenda natural e com mais qualidade para os alunos, ainda proporcionará uma grande oportunidade para os produtores que trabalham diretamente com a agricultura familiar e que dentro desta nova proposta serão orientados com assistência técnica da SEMAP e EMATER.

Vereador Júnior Tapajós acompanhado da Secretária Municipal de Educação

“As comunidades ribeirinhas só têm a ganhar com a descentralização e regionalização da merenda escolar. Além de mais qualidade, a agricultura familiar ganha a oportunidade de movimentar a economia local. Dessa forma, deixaremos na nossa região boa parte do dinheiro injetado na merenda escolar e que acaba indo para outros Estados, por conta da chama pública aberta”, concluiu o vereador.

 

Vereador Júnior Tapajós participa de entrega de ambulâncias na região do Lago Grande

Neste sábado, (6), o vereador Júnior Tapajós, (PL), participou da entrega das ambulâncias para as comunidades de Curuai e Vila Socorro, região do Lago Grande. A entrega foi feita por uma comitiva integrada pelo prefeito Nélio Aguiar, vice José Maria Tapajós, Secretária de Saúde, Dayane Melo.

Vereador Júnior Tapajós participa de entrega de ambulâncias na região do Lago Grande

Para a comunidade de Curuai, além da ambulância, foi apresentado o novo médico que realizará os atendimentos nas na Unidade de Saúde 24h, da comunidade. Também foi assinada a ordem de serviço para a reforma e ampliação da Unidade de Saúde.

Já para a comunidade de Vila Socorro, a comitiva realizou a entrega de uma ambulância, que ficará à disposição da Unidade de Saúde da comunidade, complementando os serviços já prestados pela médica e enfermeira que trabalham no local. Pelo menos 17 comunidades do Baixo Lago, serão beneficiadas com o serviço.

De acordo com o vereador Júnior Tapajós, a entrega das ambulâncias é fruto de emenda parlamentar do atual Vice- Governador Lúcio Vale, (PL), a época Deputado Federal, articulado pelo vereador e vice-prefeito José Maria Tapajós.

Ambulâncias entregues nas comunidade de Vila Socorro e Curuai, região do Lago Grande

“Eu me sinto muito satisfeito com as entregas realizadas aqui na região neste sábado. O compromisso do nosso ex Deputado e agora Vice-Governador  Lúcio Vale, possibilitou que pudessemos contar com mais qualidade para a área da saúde na região do Lago Grande”, disse o vereador.