Vereador Júnior Tapajós abre debate sobre prejuízos acarretados por fogos de artifício

O debate foi solicitado pela sociedade civil organizada e teve a participação de representantes de instituições como: OAB, Casa Azul, UNAMA, 4º GBM e a Jornalista Rogéria Almeida. O objetivo é achar meios que amenizem os transtornos causados pelos fogos de artifício, nos inúmeros eventos realizados na cidade.

Vereador Junior Tapajos abre debate sobre prejuizos acarretados por fogos de artificio

De acordo com a pauta trazida para a mesa de debate, os ruídos provocados pelos fogos de artifícios são totalmente prejudiciais para animais, pessoas idosas e crianças autistas, com isso a intensão é buscar mecanismos legais que possam amparar os prejudicados com este tipo de situação.

Em suas falas, representantes da OAB, Casa Azul, UNAMA e 4º GBM explanaram sobre as condições de utilização do produto, da fiscalização que já é feita, as leis que regem a utilização dos fogos e fizeram propostas para que possam ser amadurecidas e colocadas como possíveis soluções para o problema.

Segundo Júnior Tapajós, apesar do debate ter iniciado na esfera municipal, a competência para tratar do assunto se dá através da esfera federal, porém o debate saudável que foi iniciado, pode ajudar a encaminhar o assunto.

“O assunto em questão é muito importante, deve ser debatido e merece a total atenção dos nossos legisladores federais, para que tenha a solução que todos nós esperamos, que é a substituição dos fogos de artifícios por fogos frios, aqueles que reproduzem apenas a parte luminosa, sem o ruído, ou substituir os fogos por doação de alimentos, nos eventos realizados”, disse o vereador.

A princípio, o encaminhamento da reunião foi para a realização de uma grande campanha de conscientização da população em geral, para que a causa ganhe força e possa seguir a esfera federal e assim alcançar o objetivo. Uma próxima reunião deverá ser definida para organizar a ação que determinará tal campanha.

 

Deixe uma resposta