Vereador Júnior Tapajós acompanha CITA em busca da primeira Escola Indígena do Oeste do Pará

A solicitação do Conselho Indígena Tapajós/Arapiuns, CITA, a Câmara Municipal foi para que o vereador Júnior Tapajós pudesse acompanha-los durante audiência agendada junto a coordenação do SOME, na capital do Estado.

 

Auricelia Arapiun, Poro Borari, Vereador Junior Tapajos e professora Regina Alves, coordenadora Estadual do Sistema Modular de Ensino, SOME

O encontro aconteceu na última quinta-feira, (24), a comissão composta pelo vereador, Auricélia Arapiun e Poró Borari, coordenador do Ensino Modular Indígena no Oeste do Pará, foi recebida pela professora Regina Alves, coordenadora Estadual do Sistema Modular de Ensino, SOME. A pauta reunião girou em torno unicamente da possibilidade de abertura da primeira Escola Indígena da região Oeste do Pará, uma luta do movimento indígena. Na oportunidade foi solicitado junto a coordenação, a realização de concurso público para a seleção de professores para atender o Ensino Modular na região Oeste do Pará, o que só será possível com a abertura da escola indígena. Regina Alves ventilou a possibilidade de criação da escola e ao mesmo tempo indicou os meios para alcançar o objetivo.

Como encaminhamento desta audiência, o CITA se comprometeu a elaborar um relatório técnico, detalhando os dados que sinalizem favoravelmente a implantação da escola, como: quantidade de alunos e comunidades a serem atendidas.

Ao vereador Júnior Tapajós, coube a missão de buscar apoio político junto ao Governo do Estado, para que a Escola Indígena seja de fato implantada.

“Com toda certeza seguiremos em busca desse apoio político junto ao Governo do Estado, já que se trata de uma causa muito nobre, que é a educação, que é uma bandeira de luta dessas lideranças que sempre estão dispostas a buscar melhorias para seus povos”, disse o parlamentar.

 

3 Comentários até agora

GERLIANE BENTESPostado em8:02 pm - nov 4, 2019

Fico feliz por sua colaboração… é essa parceria que gostaríamos de ter com relação as nossas lutas. Em nome do Povo Jaraki da aldeia Lago da Praia, ficamos mega felizes.

Deixe uma resposta