Uma doença chamada Fake News

Em meio a uma das piores pandemias da nossa história, ainda temos que conviver com uma outra doença, as “fake news” (notícia falsa) que circulam nos grupos de Whatsapp e redes sociais, geralmente para disseminar crenças sem nenhum tipo de comprovação. Essa prática vem crescendo ano após ano, principalmente no meio político, mesmo com os esforços de alguns sites e Leis que foram criadas para combater a proliferação desse tipo de conteúdo.

Vídeos como o de caixões sendo enterrado com pedras, supostamente em Manaus no Amazonas, circulou a internet distribuído principalmente pelos negacionistas da Covid-19, o que acabou fazendo com que familiares de vítimas da doença desenterrassem caixões para ter certeza que seus entes queridos realmente estavam lá, pessoas que já estavam sofrendo tendo que sofrer mais ainda pela irresponsabilidade dos disseminadores de fake news.

As notícias falsas além de induzir a interpretações erradas e destruir reputações, já levou muitas pessoas à morte, como o caso de Fabiane de Jesus, que em 2014 foi linchada até a morte em São Paulo após notícia falsa divulgada em redes sociais de que ela era uma sequestradora de crianças que seriam usadas em rituais de magia negra. Fabiane tinha 33 anos, deixou marido viúvo após 18 anos de casados e duas filhas, uma de 12 anos e uma de 1 ano de idade a época do crime. Cinco dos seus agressores foram condenados à prisão, três a 40 anos, um a 30 anos e um a 26 anos. 

Portanto minhas amigas e amigos, sempre que receber uma notícia duvidosa consulte antes a veracidade dos fatos, o Google é uma boa ferramenta para isso, assim como também já existem vários sites que foram criados para identificar o que é verdade e o que não é, seja também um combatente de fake news, se tiver dúvidas não compartilhe. 

Se cuidem, usem máscaras, respeitem as determinações das autoridades, ajudem o próximo quando possível e se não tiver necessidade de sair às ruas fique em casa.

Júnior Tapajós
Vereador de Santarém – PA
Partido Liberal – PL

Imagem do Destaque: Freepik.com

 

Deixe uma resposta